pc: a solução para a educação?

fevereiro 15, 2008

Em uma pesquisa realizada por pesquisadores dos Institutos de Filosofia e Ciências Humanas, Computação, Engenharia Mecânica e pela Faculdade de Engenharia da Computação da Unicamp, mostra-se que o resultado de alunos que usam sempre o computador para realizar suas tarefas escolares nem sempre é superior àqueles que nunca usam as máquinas. De fato, aqueles que nunca usam o computador tem rendimento geralmente superior em várias disciplinas em relação àqueles que usam freqüentemente ou sempre o pc. Em sua conclusão os autores afirmam: “Hoje a ideologia dominante é claramente favorável ao maior uso de computadores nas escolas e nos lares. Assim, quando se apresentam resultados que vão contra posições dominantes, é de se esperar uma avaliação muito mais política do que científica dos mesmos.”

Isso evidencia sua posição contrária à idéia que vem se difundindo em nível global sobre a adoção de computadores portáteis, como o XO da OLPC ou o ClassmatePC da Intel, para crianças em fase escolar, principalmente aquelas que vivem em países em desenvolvimento. O Brasil iniciou uma licitação para a compra desses computadores, mas ela foi abortada pois não foi conseguido o valor esperado para as máquinas.

O autor sugere ainda que ao se criar esse fenômeno de inclusão digital, pode-se criar sem perceber um aumento na exclusão educacional, pois os alunos podem perder em qualidade de ensino. Realmente é de pensar ser realmente o método “Ctrl+C” “Ctrl+V” que se vê por aí como a solução mágica para se fazer trabalhos escolares contribui para alguma coisa, ou se os educadores terão de aperfeiçoar a forma como seus alunos lidam com a tecnologia para estudar.

Creio que ainda devem ser feitas mais pesquisas independentes, para realmente comprovar ou não a eficácia do uso dos notebooks educacionais nas escolas, ou se esses computadores não passam de pura exploração comercial de um nicho de mercado que pode se tornar altamente lucrativo.

Site da pesquisa: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302007000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=ptt


Micro-botebooks, a solução para educação e portabilidade?

janeiro 25, 2008

Há algum tempo vem-se falando muito sobre o projeto OLPC, cujo master-head é o Nocholas Negroponte, e tem por objetivo criar um laptop educacional que custe US$100,00. A idéia chamou muita atenção, e várias outras empresas passaram a cogitar a inclusão dos mico-laptops em seu leque de produtos, várias para a produção comercial, e em particular a Intel, que também desnvolve o ‘concorrente’ do XO da OLPC, com seu Classmate PC, voltado para o mundo educacional também. Vamos dar uma olhada nesse novo nicho tecnológico.

Talvez num futuro próximo, essas pequenas máquinas sejam muito úteis para aqueles que desejam um editor de textos, um aplicativo de planilhas e navegação com a internet, e não necessitam de todo o poder de fogo de um laptop convencional, nem tem condições de comprar um luxuoso UMPC.

A pioneira nessa onda de fabricação de portáteis para o mercado consumidor que veremos em pouco tempo foi a Asus, com seu Asus Eee PC. Com um hardware não muito impressionante, talvez por causa do pioneirismo:

Continue lendo »