Crise de identidade

fevereiro 15, 2008

Desde quarta-feira não conseguia postar a mensagem anterior aqui no blog, pois digitei todo o texto no Buzzword enquanto estava sem fazer nada no trabalho e salvei para publicar depois usando o Windows Live Writer em casa. Mas quando fui publicar o post, quem disse que em casa meu IE7 abria o Buzzword? Sempre aparecia uma tela dizendo que meu navegador não era compatível. Mas como um IE7 atualizado automáticamente na noite anterior pode não ser compatível? E uma mensagem que meu navegador deveria ser preferencialmente IE5.5 ou posterior me foi exibida poucos minutos antes, quando eu acessei o site do Banco Real.

Fui então investigar. Limpei todo o cache do navegador e tentei acessar o site do Windows Update, e recebi a seguinte mensagem:

“Agradecemos por seu interesse em obter as atualizações em nosso site.

Este site foi criado para funcionar apenas com os sistemas operacionais Microsoft Windows. Para encontrar atualizações para os produtos Microsoft criados para sistemas operacionais Macintosh, visite http://www.microsoft.com/mac/.”

Isso mesmo. Meu Windows XP parece que agora pensa que é um Mac. Para quem quiser ver a screenshot é só clicar aqui. Na verdade é um desejo antigo ter um Mac, e que em breve pretendo realizar, mas meu XP é XP, caramba! E eu preciso dele como XP.

Tentei em vão usar um ponto de restauração do sistema do dia 09/02. Tudo na mesma. Ele continua achando que é um Mac. Sinceramente não sei o que fazer. Até coloquei um tópico no fórum do Meio Bit, mas acho que não adiantou muito. Se alguém souber o que fazer, por favor me ajude.

PS: Voltei a usar o Windows Vista em casa para poder acessar o Buzzword e publicar o post anterior. Mas eu tô meio curto de memória, aí já viu né?

Anúncios

pc: a solução para a educação?

fevereiro 15, 2008

Em uma pesquisa realizada por pesquisadores dos Institutos de Filosofia e Ciências Humanas, Computação, Engenharia Mecânica e pela Faculdade de Engenharia da Computação da Unicamp, mostra-se que o resultado de alunos que usam sempre o computador para realizar suas tarefas escolares nem sempre é superior àqueles que nunca usam as máquinas. De fato, aqueles que nunca usam o computador tem rendimento geralmente superior em várias disciplinas em relação àqueles que usam freqüentemente ou sempre o pc. Em sua conclusão os autores afirmam: “Hoje a ideologia dominante é claramente favorável ao maior uso de computadores nas escolas e nos lares. Assim, quando se apresentam resultados que vão contra posições dominantes, é de se esperar uma avaliação muito mais política do que científica dos mesmos.”

Isso evidencia sua posição contrária à idéia que vem se difundindo em nível global sobre a adoção de computadores portáteis, como o XO da OLPC ou o ClassmatePC da Intel, para crianças em fase escolar, principalmente aquelas que vivem em países em desenvolvimento. O Brasil iniciou uma licitação para a compra desses computadores, mas ela foi abortada pois não foi conseguido o valor esperado para as máquinas.

O autor sugere ainda que ao se criar esse fenômeno de inclusão digital, pode-se criar sem perceber um aumento na exclusão educacional, pois os alunos podem perder em qualidade de ensino. Realmente é de pensar ser realmente o método “Ctrl+C” “Ctrl+V” que se vê por aí como a solução mágica para se fazer trabalhos escolares contribui para alguma coisa, ou se os educadores terão de aperfeiçoar a forma como seus alunos lidam com a tecnologia para estudar.

Creio que ainda devem ser feitas mais pesquisas independentes, para realmente comprovar ou não a eficácia do uso dos notebooks educacionais nas escolas, ou se esses computadores não passam de pura exploração comercial de um nicho de mercado que pode se tornar altamente lucrativo.

Site da pesquisa: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302007000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=ptt


1 mês de atividade!

fevereiro 11, 2008

Hoje o victorfranco.wordpress.com completa um mês no ar! E para comemorar eu fiz um post especial sobre cusos de idiomas on-line. O post parece ter sido um sucesso, pois recebeu em um dia de domingo 10 visitas. Ao todo, o blog recebeu 592 visitas até pouco antes da publicação desse post. Agradeço enormemente aqueles que dedicaram algum tempo lendo o meu blog e um MUITO OBRIGADO ainda mais especial àqueles que deixaram um recado ou um comentário.

Quando começei o blog, decidi que ele não seria sobre tecnologia específicamente, pois para isso já existe o Meio Bit, que é o melhor que já lí e leio até hoje compulsivamente. Também não seria como o outro que tive, para postar apenas sobre notícias estranhas. Ele deveria ter aquilo que gosto de ler, me informar e conversar com os amigos: tecnologia, bobagens e às vezes algumas opiniões pessoais. Algumas até não muito amistosas. Mas é assim que eu sou. E é assim que tem dado certo.

E é assim que eu pretendo continuar escrevendo essas linhas. Muitas vezes de madrugada, tentando conciliar o trabalho e os estudos enquanto ainda estou de férias na faculdade, pelo simples prazer de saber que alguem passou por aqui e meu dedos não bateram nas teclas em vão.

Muito Obrigado a todos!


Cursos de idiomas on-line

fevereiro 10, 2008

Um dos posts mais visitados do blog é o que fala sobre o curso de alemão on-line da Deutsche Welle. Então resolvi dar uma pesquisada sobre outros cursos de idiomas on-line. Depois de alguma pesquisa, apresento abaixo uma pequena descrição de alguns que realmente valem a pena ser conferidos:

  • Deutsche Welle:

Esse curso já foi abordado em um post anterior. É um curso on-line de alemão bastante completo. Com áudio e textos em português. Realmente ele foi feito para aqueles que nunca tiveram nenhum contato com a língua alemã e querem começar a aprender de uma forma bem intuitiva. É o melhor curso on-line grátis de idiomas que já vi.

Link para o curso: http://www.dw-world.de/dw/0,2142,2594,00.html

  • BabelMundo:

O site BabelMundo oferece inteiramente grátis os cursos on-line de Inglês, Espanhol, Francês, Alemão e Italiano. Seus cursos de idiomas parecem ter um bom conteúdo, e pelo que ví no de Italiano, podem ser praticados mesmo por pessoas sem nenhum conhecimento nas línguas em estudo. Além disso, existem algumas partes das lições que possuem áudio para auxiliar o estudante na pronúncia. Um dos pontos que merecem atenção no site é o fato dele ser cheio de anúncios do Google. Mas isso é que mantém o site no ar. O material do site é todo em portugês, exceto algumas partes onde a tradução do inglês ficou meio atravessada.

Links para os cursos:

  • FrancoClic

FrancoClick, segundo o próprio site:

Francoclic é um site contendo diversos recursos de acesso livre, destinado particularmente aos alunos e professores interessados na aprendizagem e no ensino da língua francesa e das culturas francófonas. É o resultado de uma parceria entre a Embaixada da França no Brasil e o Ministério brasileiro da Educação para responder à um verdadeiro pedido dos atores da língua francesa no Brasil.
Nele você encontra os módulos: de auto-aprendizagem “Reflets-Brésil”, de utilização em sala de aula “Br@nché!”, de especialidade agrícola “Agriscola” e de descoberta “le monde francophone d’un clic” e “Images de France”.

No módulo Reflets-Brésil, o aluno conta com o material escrito e vídeos em streaming.

Link para o curso: http://francoclic.mec.gov.br/index.php

  • BBC Languages e BBC Brasil:

O site internacional da BBC oferece vários cursos on-line de vários idiomas, entre eles: Francês, Inglês, Espanhol, Português (sim, a “nossa” língua), Italiano, Alemão, Grego, Mandarim (China), entre outras línguas no mínimo exóticas. Porém os cursos só são indicados para quem já possui algum conhecimento em língua inglesa, pois as aulas são nessa língua.

Já a página da BBC no Brasil possui uma seção chamada: Aprenda Inglês. Nela o aluno pode aprender Inglês lendo notícias sobre o mundo, além de contar com algumas dicas, como por exemplo os phrasal verbs.

Link para a página de cursos de idiomas da BBC: http://www.bbc.co.uk/languages/

Assim, acredito que consegui aumentar um pouco o leque de opções para o aprendizado de idiomas on-line. E o melhor de tudo é que todos os cursos que mostrei são grátis. E o FrancoClic ainda por cima é produzido pelo Ministério da Educação em parceria com a Embaixada da França no Brasil. Bons Estudos.


Fizeram um créu na cultura brasileira

fevereiro 8, 2008

Carnaval, curtição, marchinhas e samba? Nada disso! O ‘hit’ do momento do carnaval 2008 foi o Créu. Essa merda-prima da música nacional tocou em todos os lugares à exaustão nas noites de folia e nas rádios. Onde foi parar o mínimo de cultura que ainda restava ao povo brasileiro?

Mas uma pergunta não quer calar: como uma ‘música’ dessas, que se contarmos não tem nem 50 palavras diferentes e nenhuma mensagem, nenhuma mesmo, consegue ter uma audiência dessas? É inacreditável! Termino aqui o post pois me faltam palavras para desqualificar esse treco. Acho que essa porcaria fez um créu nas minhas idéias tambem.

ps: esse eu assino com gosto!


Adobe Buzzword

fevereiro 7, 2008

Ainda em versão beta, a Virtual Ubiquity -uma empresa da Adobe- lançou o buzzword, um editor de textos completamente baseado na web.

Com um visual extremamente elegante em preto, o buzzword possui um organizador dos documentos que possui várias opções de organização, inclusive por ordem de autor. Há também várias informações sobre o documento.

Já o editor de textos em si, a parte mais importante do sistema, é bem organizado e possiu ferramentas muito boas, como inserção de imagens, ecolha da cor do texto e da página, algumas fontes, opção de criação de listas numeradas e com marcadores, criação de tabelas, cabeçalhos e rodapés, hiperlinks, entre outros.

Porém uma das funções mais interessantes é a habilidade de criar comentários no texto. E cada comentário vem com a identificação de quem o criou. Outra função muito importante é a colaboração na edição do documento. Clicando no botão ‘Share’ o editor tem a opção de digitar o e-mail de alguém para compartilhar seu trabalho. Existem três níveis de compartilhamento, que deve ser atribuído no momento em que se faz o compartilhamento: Co-Author, onde é permitido acesso total ao documento para edição e comentários; Reviwer, onde é permitida a leitura e os comentários; e Reader, onde é permitida apenas a leitura do documento. Outra opção interessante é o histórico de alterações do documento, que permite inclusive a restauração a partir de pontos salvos anteriormente.

Para aqueles que precisam fazer trabalhos em grupo o buzzword é uma ótima solução. Por ser totalmente on-line e baseado em Flash, ele é quase indiferente ao navegador e ao sistema operacional que o usuário utiliza. Parece ser também muito mais intuitivo para o usuário que os outros editores on-line, como o editor de textos do Google Docs. É também muito mais rápido, pois toda a interface é carregada uma única vez, durante a inicialização. Fica aí uma boa dica.


‘Curtura’ brasileira

fevereiro 7, 2008

Esse post era pra sair amanhã de manhã, mas não aguentei esperar. Admire a placa abaixo, que fotografei domingo de carnaval, no centro de Paracatu-MG. Você já bebeu alguma coisa que está anunciada? Eu não. E depois reclamam de uísque falsificado.

Você aceita uma cóca? E uma cervéja?

PS: Acho que eles criaram uma receita nova de Domus, servido num copo com um ovo dentro e bebido com canudinho.